Na roda, as mulheres levaram suas experiências e relatos que mostram o quanto ainda é necessária a luta contra o machismo e as dificuldades em ocupar os espaços e o seu reconhecimento.

Com a sala cheia, as mulheres que participam do X Congresso de Agroecologia iniciaram os debates cantando “para mudar a sociedade do jeito que a gente quer, participando sem medo de ser mulher”, com esse mote elas abordaram a temática ‘Feminismo e Agroecologia: mulheres em luta contra a violência sexista, o capitalismo e o patriarcado’.

Na roda, as mulheres levaram suas experiências e relatos que mostram o quanto ainda é necessária a luta contra o machismo e as dificuldades em ocupar os espaços políticos, de trabalho e o seu reconhecimento.

Para somar na troca de saberes foram convidadas para os debates: Miriam Nobre, SOF – Sempre Viva Organização Feminista e MMM – Marcha Mundial das Mulheres; Verônica Santana, MMTR-NE; Luiza Cavalcante, REGA; Verônica Vazquez, COLPOS/AMA-AWA, Michela Calaça, MMP e Sarah Luzia – Marcha Mundial das Mulheres, coordenando o debate.

“No atual sistema a sociedade só funciona a partir da exploração do trabalho, principalmente e historicamente a mulher com a dupla exploração. Então, espaços como este são importantes para nos organizarmos e saber enfrentar este sistema. No campo vivenciamos cotidianamente esta exploração que é feito no momento em que nossa produção não é valorizada, quando temos a destruição dos nossos territórios, quando a indústria chega expulsando nossos povos do campo, das águas e das florestas das suas terras tradicionais. As mulheres são as primeiras a sofrerem estes impactos, começando pela violência”, conta Michelle Kalassa do MMP, representando o Campo Unitário.

Considerado o maior evento de Agroecologia em número de participantes e trabalhos técnico-científicos, o Congresso reúne os setores da sociedade brasileira e da América Latina que atuam e desenvolvem a Agroecologia como pesquisadores acadêmicos e populares; extensionistas; gestores de políticas públicas das três esferas; agricultores familiares, camponeses, povos e comunidades tradicionais; Movimentos Sociais, ONGs, Redes e Fóruns de Agroecologia, entre outros. Promove uma ampla discussão, com troca de experiências, saberes e sabores, apresentação de trabalhos científicos e encaminhamentos que contribuem para o direcionamento estratégico destes setores.

O Congresso de Agroecologia 2017 é a realização simultânea do VI Congresso Latino-americano de Agroecologia, X Congresso Brasileiro de Agroecologia e V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno. Os eventos são promovidos pela Sociedade Científica Latino-americana de Agroecologia (SOCLA) e Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia) e organizados em Brasília por uma comissão formada por representantes da Embrapa, Universidade de Brasília, Emater-DF, Secretarias de Estado do GDF (Seagri e Sedestmidh), IBRAM e ISPN. Conta com o apoio de vários ministérios, organizações e movimentos sociais. O evento é patrocinado por BNDES, Itaipu Binacional e Fundação Banco do Brasil. Acompanhe as novidades www.agroecologia2017.com e nos perfis do facebook e instagram.

Por Patrícia Costa / Campo Unitário